Seguidores

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Acervos de jornais de Natal vão para a UFRN.

Acervos jornalísticos em sessão solene na UFRN

Wilson Galvão – ASCOM – Reitoria/UFRN

Os acervos jornalísticos do Novo Jornal e do Diário de Natal estão na pauta de sessão solene nesta segunda-feira, 18, às 11h, na Sala dos Colegiados Superiores, momento no qual a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) recebe oficialmente o acervo jornalístico do Novo Jornal e falará a respeito do andamento do projeto para disponibilização do acervo do Diário de Natal. Conexa às duas iniciativas está a ideia da criação de um centro de documentação que possa receber doações de alto valor social e cultural. 

Na solenidade, será apresentado o repositório do Laboratório de Imagens (LABIM) da UFRN, plataforma onde ficará o acervo on-line do Novo Jornal, estando aberta sua consulta, tanto pelos estudantes e pesquisadores, como pelo público em geral.  O acervo físico, em suporte de papel, já está sob a guarda do Laboratório de Restauração e Conservação de Livros e Documentos Históricos (LABRE) do Departamento de História. O LABIM é coordenado pela professora Íris Dantas e o LABRE tem à frente a professora Maria da Conceição Guilherme Coelho. 

“Ambos os acervos estão conectados, pois envolvem os mesmos laboratórios, embora o trabalho com o Diário de Natal seja bem mais complexo tecnicamente. Por causa disso, trabalharemos em duas frentes: a primeira é com os microfilmes, que serão digitalizados para dar acesso à população o mais rápido possível. Estamos iniciando e acredito que em dois anos finalizaremos. Enquanto o trabalho com os jornais impressos, que estão em variados estados de conservação, iremos com mais calma, já que é um trabalho exaustivo e lento. Contudo, o resultado deste trabalho será uma digitalização em alta resolução”, explicou o professor Haroldo Loguercio Carvalho, que trabalha em conjunto com o LABIM e o LABRE.

No caso do Diário de Natal, o projeto tem seu início viabilizado através de emendas parlamentares dos senadores Fátima Bezerra, Garibaldi Alves e Agripino Maia, e dos deputados federais Rafael Motta, Rogério Marinho e Zenaide Maia. “Os acervos são importantes na medida em que têm vieses culturais, de cidadania, acesso à informação e direitos humanos, já que narram a história contemporânea do nosso estado. A guarda deles, o tratamento, a disponibilização e recuperação, quando for o caso, propiciam um conhecimento substancial para estudantes e profissionais de vária áreas, como artes, jornalismo, história, publicidade e educação física”, colocou a reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz, que conduzirá a sessão solene. 

O periódico Novo Jornal começou a circular, nas plataformas digital e impressa, em 17 de novembro de 2009. Em sua edição impressa, o último número circulou em 27 de outubro de 2017. Já o Diário de Natal circulou no período de 18 de setembro de 1939 até 2 de outubro de 2012. “Especificamente o acervo do Diário de Natal iria ser vendido para a Fundação Joaquim Nabuco, de Recife. Contudo, a intervenção da sociedade foi central para a manutenção em Natal destes documentos e a UFRN surgiu naturalmente como instituição com capacidade técnica de fazer o trabalho de recuperação e de dar acesso. É fundamental que a sociedade, suas forças vivas e seus representantes políticos entendam a necessidade de seguir apoiando o trabalho que estamos iniciando agora”, colocou Haroldo Carvalho.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Escritora e poetisa bahiana que viria a Natal, faleceu em Salvador.


Professora emérita da Ufba, Suzana Alice Marcelino Cardoso morre em Salvador

Ela ocupava desde 2016 a cadeira número 28 da Academia de Letras da Bahia (ALB). Causa do falecimento ainda não foi divulgada.

Por G1 BA
 
Suzana Alice Marcelino da Silva Cardoso, na posse da Academia de Letras da Bahia (Foto: Reprodução/TV Bahia)Suzana Alice Marcelino da Silva Cardoso, na posse da Academia de Letras da Bahia (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Suzana Alice Marcelino da Silva Cardoso, na posse da Academia de Letras da Bahia (Foto: Reprodução/TV Bahia)
A professora emérita da Universidade Federal da Bahia (UFBA) Suzana Alice Marcelino da Silva Cardoso morreu nesta quarta-feira (2), em Salvador. A causa do falecimento ainda não foi divulgada.
Suzana ocupava, desde 2016, a cadeira número 28 da Academia de Letras da Bahia (ALB). Ela construiu a sua carreira profissional no universo das Letras, atuando principalmente na área da dialectologia, geolinguística, português do Brasil, língua portuguesa e variação linguística.
O reitor da Ufba, João Carlos Salles, lamentou a perda. "É uma da figuras fundamentais da Ufba e referência para todos nós. É uma pessoa muito querida e, pessoalmente, é a perda de uma amiga", disse.
A professora Suzana tem graduação em Letras Neolatinas pela Universidade Federal da Bahia (1960), mestrado em Letras e Linguística pela Universidade Federal da Bahia (1979) e doutorado em Letras (Letras Vernáculas) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002).
Ela foi professora convidada na Université Paris 13, editora da revista Estudos Lingüísticos e Literários (2004-2012) , membro do Conselho Editorial das revistas A Cor das Letras, Filologia e Lingüística Portuguesa, coordenadora do GT de Sociolinguística da ANPOLL (1992-1994), presidente da Associação Brasileira de Linguística - ABRALIN (1993-1995) e diretora-presidente do Projeto Atlas Linguístico do Brasil.